Bom Humor: O seu diferencial competitivo

Quais características para se tornar um CEO?
26 de fevereiro de 2018
Não caía no síndrome do palanque corporativo
24 de abril de 2018
Show all

Quem gosta de pessoas negativas ou mal humoradas? Ninguém gosta desse tipo de pessoa, elas são tóxicas. É sabido que pessoas que tem maior senso de humor, consegue cativar e obter atenção de forma natural. Em recente estudo da Harvard Business Review, pessoas mais bem-humoradas tem mais chances de promoção e são mais bem remuneradas.Segundo a professora do Insper em liderança e gestão de pessoas, Marilda Andrade, a postura de um colaborador, principalmente no cargo de liderança, reflete em toda equipe.

“O senso de humor é uma competência que pode ser desenvolvida e um ambiente bem-humorado, leve e lúdico deve funcionar como um indicador de boa liderança e até eficácia na função. É fato que as empresas que contam com colaboradores bem-humorados têm suas culturas mais fortalecidas e tendem a ter mais sucesso que as demais”, defende Marilda.

Na pesquisa da consultoria empresarial Gallup, as pessoas riem menos nos dias de semana, ou seja, de segunda a sexta-feira, se comparado com o final de semana. Na verdade, a redução de sorriso durante a semana se dá pela confusão entre o conceito de seriedade e bom humor, sendo atribuído como oposto, sendo que é possível ser sério, porém ser bom humorado. Um rosto carrancudo não é sinônimo de seriedade.

A seriedade é o comprometimento em realizar as atividades atribuídas com foco, maestria e honestidade. O profissional que sente bem na empresa em que trabalha, torna-se mais engajado traduzindo em resultados para a empresa. Conforme o alerta da professora, Marilda Andrade, os profissionais não devem confundir o bom humor com fazer piadas inconvenientes – rir dos colegas, gargalhar na hora errada ou agir com leviandade, porque isso não são atitudes positivas.

Para colocar em prática:

As dicas listadas pela especialista podem auxiliar os profissionais no ambiente corporativo:

  • Reagir melhor aos erros e aprender com eles, conduzindo esse processo de aprendizado de maneira leve e percebendo os pontos positivos da situação;
  • Ser mais flexível e conviver com as diferenças, entendendo que mudanças de percurso podem acontecer no meio corporativo;
  • Desenvolver a criatividade, trazendo soluções inovadoras e elevando o padrão de desempenho;
  • Contribuir com um ambiente de trabalho mais leve e bem-humorado, estimulando o engajamento das pessoas e para que não vejam o trabalho como algo negativo.

O bom humor é contagioso. Se desenvolvermos o nosso próprio senso de humor, podemos iniciar uma “contaminação do bem”.

Uma excelente semana e até a próxima coluna!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »